Exclusivo! Além de perder processo, Maria Rita terá que indenizar Felipeh Campos

Maria Rita não está vivendo seus melhores dias. A artista tomou ciência de que perdeu o processo que movia contra Felipeh Campos.

A artista decidiu processar o jornalista por conta de uma notícia, publicada em Agosto de 2019, nas redes sociais do colunista do programa “A Tarde é Sua” da RedeTV!.

Na ocasião, Campos disse que Maria Rita proibiu imprensa, não atendeu fãs e sua equipe proibiu populares transitarem próximo ao camarim da cantora”. No processo, a defesa de Maria Rita ainda Relata que o réu ainda publicou comentário dizendo que autora estaria gorda .

No último dia 15 saiu o resultado da ação. O juiz indeferiu o pedido. “Pretende-se apurar na presente demanda a responsabilidade civil da ré em razão de comentário veiculado em sua rede social que teria ofendido a honra e a imagem da autora. A questão deve ser dirimida com alicerce no documento de fls. 19, que revela o conteúdo dos comentários realizados pelo réu de onde se verifica se tratar de mera opinião proferida com base na liberdade de expressão, sem o condão de gerar abalo à honra da autora. A inviolabilidade da honra, da imagem das pessoas e da intimidade, o livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, e a dignidade da pessoa humana também são direitos assegurados pela Constituição Federal em seu art. 5º, X e XIII e art. 1°, III, mesma Carta Magna que, ainda garante, o direito a indenização por dano moral ou à imagem decorrente dessa violação (art. 5º, V e X, parte final da CF/88). Ocorre que no caso dos autos, a autora, figura pública, pode ser alvo de críticas pela imprensa, não só quanto à sua desenvoltura em frente às câmeras, como também em relação aos bastidores e matérias de interesse de seu público alvo. O ônus inerente ao bônus de ser uma pessoa famosa, dá ensejo a comentários da mídia a seu respeito. Dessa forma, publicações que contenham comentários sobre a artista, não devem ser confundidas com publicações que visem macular a sua vida íntima. Nesse contexto, a publicação trazida aos autos, ainda que mordaz, não pode ser considerada como caracterizadora de dano moral, já que não teve o condão de ofender sua honra, seu nome e sua dignidade, bens integrantes da personalidade. Por mais que a pessoa pública tenha direito a honra e privacidade, a sua proteção é mitigada diante da permissão de exposição de sua vida. Os comentários sobre a atuação profissional de um artista ou sobre qualquer conduta privada são inerentes a sua posição de destaque na sociedade”, sentenciou.

Por fim, o documento traz prejuízos para Maria Rita. “JULGO IMPROCEDENTE a pretensão deduzida na inicial e condeno a autora ao pagamento das custas e honorários advocatícios que fixo em 10% sobre o valor da causa”.

OBuxixo apurou que o valor a ser cobrado da cantora é de R$16 mil, em face do pedido original de R$30 mil de indenização, que não foi aprovado.

Siga-me no Instagram: @VladimirAlves